0
0 In Gravidez/ Top

Diário de Pré Gravidez • Histerossalpingografia e Temperatura Basal

Temperatura Basal Tentantes

Há um tempinho decidimos ter um bebê.

Eu não tomo remédio contraceptivo desde os 4 meses de casada. Sempre tive muita reação a qualquer dosagem e olha que ja testei quase todas existentes e possíveis. Muita dor de cabeça, náusea demais, além do inchaço e vários outros sintomas, por isso, aniquilei da minha vida os comprimidinhos anticoncepcionais. 

Agora que estamos tentando, está demorando um pouquinho além do que queríamos. O que não é anormal até aqui.

Quando chegamos perto de 1 ano nas tentativas, minha médica sugeriu que esperássemos o surto Zika Vírus amenizar (foi bem nesse período) para que retomássemos aos exames de averiguação. Foi o que fizemos, esperamos e agora estamos retomando.

Depois dos mais comuns e primários, como exame de sangue, intravaginal, ultrassonografia e mais alguns corriqueiros, darem o resultado normal, partimos para os mais complexos.

Histerossalpingografia

O primeiro que fiz desses mais incomuns. 

Quando minha GO me solicitou, fui correndo ver como era, o que era e como fazia… terror absoluto. Um monte de gente falando que doeu absurdamente e blá-blá-blá. Erro. Não façam isso, procurem tirar suas dúvidas com sua médica. Só a procurei depois q o horror estava instaurado na minha mente. Ela me explicou toda a confusão e o porquê das dores.

As dores são provenientes desse exame quando é feito pelo antigo método do pinçamento. Não é mais assim, ou pelo menos procure por locais que seja feito por contraste, onde, de forma clara, você fica naquela posição de exame preventivo, injetam o contraste para que percorra todo o caminho pelas trompas até o útero. Por isso incômodo, você sente ele sendo introduzido e o percurso.

Mesmo por contraste não é totalmente indolor. Na verdade, é como um incômodo de cólica menstrual, totalmente suportável e que dura bem pouco tempo (ao contrário da cólica de verdade que fica o dia inteiro ou mais). Se você costuma ter cólicas estrondosas então vai achar bem tranquilo.

Uma notícia boa, minha GO ainda falou que muitas mulheres engravidaram depois desse exame, justamente porque como faz todo o percurso, ele pode vir a desobstruir esse caminho, caso seja esse o problema. Vamos na torcida.. dedos cruzados.

Uma dificuldade que encontrei foi onde marcar esse exame, então, para quem é do Rio, divido com vocês onde fiz que foi bem tranquilo e ainda aceita vários planos:

Clínica Ricardo Campos • RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA – 435 • Tels.: 21 2527-5455 / 21 2526-2681 

Dica: Procure onde fazer, pergunte tudo, inclusive o preço. No início não conseguia vaga para o exame e o primeiro lugar q achei, não aceitava meu plano e ainda custava 960 reais. Muito fora do que eu estava vendo. Por isso, procure bem.

 

Depois de feito o "terrível" exame, continuamos na saga. Fiz mês passado, então retomamos nossas tentativas a todo vapor. 

Uma amiga querida me falou de um método que super funcionou pra ela…

Técnica da Temperatura Basal

Ela é muito importante pra conhecer seu corpo. O ideal é que você já a faça assim que decida engravidar, porque ela marca as fases dos seus ciclos.

Como funciona?

Pesquisei vários sites que me explicassem com clareza essa técnica e o mais explicado e detalhado que achei foi esse abaixo, da Patrícia Amorim, do site trocandofraldas.com.br:

"Nosso corpo possui várias fases hormonais durante um ciclo menstrual, na primeira fase quando a menstruação vai embora, quem assume o controle da situação é o estrógeno, cuja sua função é fazer com que o óvulo comece o processo de amadurecimento digamos assim. Já na segunda fase, a progesterona que é responsável pela manutenção do endométrio para que ele fique apto a receber o zigoto (óvulo fecundado) tenha condições para que se fixe no útero. Então, o estrogênio faz com que nossa temperatura fique mais baixa, e quando a ovulação se aproxima a tendência é que ela caia ainda mais. Já a progesterona faz com que a temperatura seja mais alta, e assim quem monitora diariamente percebe claramente o período de ovulação.

A temperatura antes da ovulação se mantém de baixa pra média, e quando ela começa a subir, sabemos que a ovulação já aconteceu, pois a progesterona acabou de aumentar para manutenção do endométrio. Normalmente, quando mais baixo, é onde o estrógeno tem seu ápice, e daí podemos supor que o óvulo será liberado em breve, entre 12 a 48 horas."

Comecei a medição no primeiro dia do meu ciclo menstrual, por enquanto ela está normal… vamos acompanhando.

Comecei também a analise pelo gráfico nesse site aqui: http://www.fertilityfriend.com/ que vai me ajudar a reconhecer os picos de temperaturas e conhecer mais meu ciclo.

 

Se você está nessa também… vai ouvir (ou já ouviu) muito a frase: -Relaxa, tenta não pensar nisso, quando você esquecer o bebê virá. Então porque não dar uma ajudinha em conhecer nosso corpo, certo?!

Dia 2/8 tenho uma consulta marcada, veremos qual será o próximo passo.

#beijotchau

wink

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply